terça-feira, 22 de janeiro de 2013

Novas pesquisas com a figueira (Ficus carica): quantificação produtiva de novas cultivares visando a diversificação da ficicultura brasileira

Um experimento se iniciou na Universidade Federal de Lavras (UFLA) visando quantificar a qualidade dos frutos e o desempenho produtivo de 18 cultivares de figueira (Ficus carica), em dois sistemas de condução/espaçamento. O intuito é oferecer aos ficicultores brasileiros novas opção e diversificação da produção de figos, hoje restrita a um único cultivar, o Roxo de Valinhos (Brown Turkey). Tais cultivares foram introduzidos de Portugal, em uma parceria com o INIA (Instituto Nacional de Investigação Agrária) de Portugal. Tais cultivares produzem tanto figos lampos, como vindimos, porém algumas camadas necessitam de polinização (vespa Blastophaga psenes). Motivo esses que os cultivares estão alocados em dois espaçamentos e duas formas de condução (drástica, como se adota no Brasil - 3 x 2 m, e em eixo baixo - 6 x 4 m). Dentre os cultivares, estão: Bêbara Branca, Princesa, Maia, Frucôte, Três Num Prato, Lampa Preta, Bruswick, Lemon, Pingo de Mel, Nazaré, dentre outros. Espera-se em cinco anos disponibilizar os dados referidos sobre tais cultivares.



Nenhum comentário:

Postar um comentário