sexta-feira, 4 de março de 2011

Rubus erythrocladus, a amora-verde da Serra da Mantiqueira



Para quem não conhece, essa é a amora-verde, um berry nativo da Serra Mantiqueira e que se encontra em alguns locais das terras altas da Serra, principalmente na face mineira. Em fev. de 2011 fizemos uma busca em pastos e matas no Sul de Minas e resgatamos algumas mudas dessa espécie, que se encontram no Setor de Fruticultura da UFLA. Vamos multiplicar essas mudas e esperamos em jul. levar a campo para iniciarmos uma série de estudos pomológicos, propagativos e físico-químico. Há potencial de exploração, principalmente pela firmeza de seus frutos e sabor peculiar.





7 comentários:

  1. Vocês têm muda de amora verde para vender? Meu e-mail é: viviane.a.santana@hotmail.com. Eu sigo o blog de vocês!!!

    ResponderExcluir
  2. Como não tive resposta desse comentário... Pergunto mais uma vez... Vocês têm muda da rubus erythrocladus (amora verde) para vender? Gostaria de reber por sedex... Meu e-mail é viviane.a.santana@hotmail.com

    ResponderExcluir
  3. Perto de onde eu morava quando criança existia um pé de amora verde, onde encontro uma muda? Espero que possam me ajudar!

    ResponderExcluir
  4. Essa amora é comum aqui em Santa Catarina, inclusive nas regiões mais quentes, do litoral. Eu conheço três variações da planta, mas todas elas com os frutos semelantes. Uma tem hastes e folhas avermelhadas. Outra tem folhas aveludades e um terceira tem folhas mais lisas e a planta é bem vigorosa. Em matéria de sabor,eu a considero uma das melhores frutas que existe. Tomara que ela seja mesmo pesquisada e cultivada. Em meu sítio, dificlmente consigo colher algum fruto, pois a concorrência é muito grande com os pássaros.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não me identifiquei na mensagem acima. Meu anome é Anestor Mezzomo. MOra em Florianópolis, mas meu sítio está em Antônio Carlos - SC. Tenho diversas fotos da fruta. Para ver algumas de minhas fotos, é só pesquisar no google, por Rubus erythrocladus anestor (anestor.mezzomo@gmail.com)

      Excluir
  5. Vi dessas plantas em pleno cerrado, em Pirenópolis, Go

    ResponderExcluir