quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

Produção de amora-preta e amora-vermelha na safra e entressafra em Pouso Alegre, sul de Minas Gerais



Rubus sp. está amplamente expandido em regiões de clima frio, entretanto algumas cultivares se adaptam em ambientes de clima ameno. Objetivou-se com o presente trabalho avaliar a produção de amoreira-preta e amoreira-vermelha na safra e entressafra em Pouso Alegre, sul de Minas Gerais. O delineamento experimental utilizado foi em blocos casualizados, com doze cultivares ('Arapaho', 'Xavante', 'Brazos', 'Tupy' 'Comanche', 'Choctaw', 'Guarani', 'Caingangue', 'Cherokee', 'Chicasaw', 'Clone' e uma amoreira-vermelha), três blocos e unidade experimental de quatro plantas, espaçadas a 0,5x3,0m, totalizando uma densidade de 6.666 plantas por hectare. Visando à produção na safra (outubro a dezembro) e entressafra (abril a julho), foram realizadas, nos meses de janeiro e julho, as podas convencionais. Em 'Brazos', verificou-se maior produção nas duas safras avaliadas em comparação com as demais amoreiras, já na entressafra, apenas em 'Tupy', 'Choctaw', 'Comanche' e 'Clone' verificou-se efeito positivo da poda realizada em janeiro e produziram frutos "fora de época", sendo em 'Tupy' a maior produtividade na entressafra. Na 'Brazos' e 'Tupy', verificou-se o melhor equilíbrio entre os sólidos solúveis e a acidez na safra e amora-vermelha na entressafra. 'Brazos' e 'Cherokee' obtiveram teor médio de açúcares totais superiores. Devido à inexistência da oferta de frutos de amoreira, a poda realizada em janeiro se torna alternativa para o aumento da renda dos agricultores de base familiar.

Mais informações:

http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-84782016001001723&lng=en&nrm=iso&tlng=en

Nenhum comentário:

Postar um comentário