quinta-feira, 25 de fevereiro de 2016

O cultivo da framboesa no Brasil e em regiões subtropicais

        



         Atualmente, a framboeseira é cultivada em 37 países em aproximadamente 184 mil hectares, sendo a Rússia o maior produtor mundial com 120 mil t/ano, seguido da Sérvia, Polônia, Estados Unidos e Ucrânia.
            Na América do Sul, o Chile destaca-se como o maior produtor, com uma área aproximada de cinco mil hectares e produção de 30 mil t/ano, possuindo alta tecnologia de produção e logística de exportação para os principais mercados mundiais. Nos últimos anos, os plantios de framboeseira têm aumentando significativamente em outros países da América do Sul , a exemplo da Argentina e do Uruguai.  
            No Brasil, o cultivo da framboeseira iniciou-se na década de 50, no município de Campos do Jordão-SP, por meio da introdução de algumas cultivares pelo barão suíço Otto Von Leithner, onde, atualmente, encontra-se a fazenda Baronesa Von Leithner e que até hoje produz framboesas de alta qualidade. Posteriormente, os cultivos foram expandidos para o sul do Brasil.
            Atualmente, os principais estados produtores brasileiros são o Rio Grande do Sul, São Paulo e Minas Gerais, sendo a área total estimada em 400 hectares. No Rio Grande do Sul, principal estado produtor, destaca-se o município de Vacaria e outros municípios da Serra Gaúcha, como Caxias do Sul, com pequenos cultivos. Em São Paulo, podem ser encontrados cultivos localizados em Campos do Jordão, São Bento do Sapucaí e Santo Antônio do Pinhal. Em Minas Gerais, em regiões de altitude, são produzidas framboesas em Gonçalves, Cambuí e Senador Amaral.
            Embora sejam escassos dados oficiais sobre área plantada e volume produzido, é notável o crescente interesse pelo cultivo por parte dos produtores, decorrente da grande procura pela população, principalmente na serra da Mantiqueira.
            As produtividades dos plantios de framboeseira no Brasil são extremamente variáveis, sendo as maiores obtidas na região de Vacaria (5,6 t/ha). No entanto, em regiões de inverno ameno, consegue-se colher 4 t ha-1 já no primeiro ciclo produtivo. Ressalta-se que um plantio com framboeseiras bem manejado em regiões subtropicais pode chegar a 8 t ha-1. Já, em plantios adensados e irrigados, essa produtividade pode alcançar 12 t ha-1, ainda no primeiro ano após o plantio.

            A oferta de framboesas no Brasil parece ser menor que a demanda, mesmo sendo muito compensadores os preços pagos aos produtores. Essa pouca expressão dessa fruteira no país deve-se, possivelmente, ao fato de que dentre as pequenas frutas, trata-se daquela que apresenta as maiores limitações técnicas, em razão da sensibilidade da planta e da fruta ao clima, além de problemas fitossanitários no verão e a carência de informações técnicas sobre o cultivo, principalmente em regiões subtropicais. 
          Os plantios com a framboeseira em regiões de inverno ameno indicam boas perspectivas. Porém, por se tratar de uma espécie cujo cultivo ainda é incipiente no Brasil, os desafios tecnológicos de produção, somados ao pouco conhecimento sobre o comportamento das diferentes cultivares e manejo cultural, constituem empecilhos a serem enfrentados. Porém as potencialidades da produção e da rentabilidade são altamente promissoras.
            Essa fruteira possibilita o rápido retorno do capital investido, pois as plantas atingem altas produções já, após quatro meses do plantio e ainda se adéquam perfeitamente ao cultivo orgânico, pela sua rusticidade e poucos problemas fitossanitários.
            A grande vantagem do cultivo da framboeseira em regiões subtropicais é o amplo período de colheita, onde se pode colher framboesas vermelhas e amarelas do início de outubro ao final de maio e framboesas negras o ano todo. Por outro lado, as frutas são altamente delicadas e com elevada taxa respiratória, o que dificulta a comercialização de framboesas frescas em regiões com verões mais quentes. Mas se consegue agregar valor ao produto final por meio do processamento de suas frutas, na fabricação de geleias caseiras, doces em barras ou em caldas, polpa congelada e bebidas fermentadas, produtos estes que possuem fácil comercialização, em razão do sabor peculiar dessa fruteira.

2 comentários:

  1. Caro Rafael, boa tarde!

    Gostei do seu artigo sobre framboesas. Sou Engº Agrº formado pela ESAL (1985), atualmente trabalho no MAPA e tenho interesse em cultivo de pequenas fruta. Já tenho alguma experiencia com morangos e amora preta, mas estou pretendendo cultivar também framboesa. Gostaria de saber como obter mudas de framboesa, inclusive da amarela, pois achei muito interessante.
    Fico no aguardo. Meu email para contato é: akermanfraga@gmail.com . Desde já agradeço.

    Att.


    Alexandre

    ResponderExcluir
  2. Caro Rafael, boa tarde!

    Gostei do seu artigo sobre framboesas. Sou Engº Agrº formado pela ESAL (1985), atualmente trabalho no MAPA e tenho interesse em cultivo de pequenas fruta. Já tenho alguma experiencia com morangos e amora preta, mas estou pretendendo cultivar também framboesa. Gostaria de saber como obter mudas de framboesa, inclusive da amarela, pois achei muito interessante.
    Fico no aguardo. Meu email para contato é: akermanfraga@gmail.com . Desde já agradeço.

    Att.


    Alexandre

    ResponderExcluir