terça-feira, 23 de setembro de 2014

Variação ambiental e genética na pós-colheita de framboesas em áreas subtropicais do Brasil


Framboesa é uma baga economicamente importante que contém compostos fenólicos com inúmeros potenciais benefícios à saúde. Sabe-se que a composição química é afetada por fatores de processamento, mas há limitada informação disponível sobre a influência dos fatores culturais e genéticos. Para esclarecer esta questão, este trabalho teve como objetivo caracterizar as cultivares de framboeseira Polana, Autumn Bliss, Heritage, Batum, Golden Bliss e o híbrido boysenberry e framboesa negra da Serra da Mantiqueira (cidade de Campos do Jordão, São Paulo, clima Cwa, mesotérmico com inverno seco, comumente chamado de tropical de altitude, de acordo com a classificação de Köppen) e Alto do Rio Grande (cidade de Lavras, Minas Gerais, Cwb climáticas, com inverno seco e temperado no verão). Os frutos foram utilizados para as seguintes análises: massa, tamanho, número de drupeletes, cor, acidez total, sólidos solúveis, acidez titulável / sólidos solúveis totais  (AT / SST), umidade e cinzas. Os resultados revelaram forte influência do local de cultivo sobre a qualidade do fruto, bem como a existência de variação entre cultivares. Frutos produzidos na Serra da Mantiqueira apresentaram maiores dimensões e alta relação sólidos solúveis totais e acidez total. Por outro lado, framboesas do Alto do Rio Grande destacaram-se no quesito cor, elevada acidez e baixa relação de sólidos solúveis totais e acidez total.

Mais informações: http://www.periodicos.uem.br/ojs/index.php/ActaSciAgron/article/view/18050

Nenhum comentário:

Postar um comentário